Instituições de Ensino Superior começam a aderir ao GraduaCEO



O GraduaCEO, anunciado pelo Ministério da Saúde em agosto, permitirá maior integração entre estudantes do curso de odontologia e o Sistema Único de Saúde (SUS). A Universidade de Brasília (UnB) já deu início ao processo de adesão, que permite universitários de Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas acompanharem o trabalho das Equipes de Saúde Bucal desde o início do curso e realizarem procedimentos odontológicos nas etapas finais da graduação, com orientação dos professores.

Atualmente a Universidade de Brasília tem o curso de odontologia vinculado ao Hospital Universitário (HUB) e, com a adesão ao GraduaCEO, realizará, no mínimo, 900 procedimentos odontológicos de diferentes complexidades por mês. Os atendimentos já acontecem com serviços de prevenção, periodontia, restauração, procedimentos cirúrgicos, ortodontia, e de orientação para a procura periódica de atendimento, no sentido preventivo e de tratamento, além do centro de atendimento ao câncer bucal.

A chefe do Departamento de Odontologia da UnB, Maria do Carmo Machado Guimarães, explica que, como o HUB é administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBESERH), os serviços em odontologia também são, porém existem limitações de recursos e equipamentos que o GraduaCEO ajudará a ampliar. “O convênio fornecerá um valor mensal que prevê material de consumo e também compras instrumentais para os alunos. Esse é o diferencial. Embora o aluno tenha que devolver o material do curso ao se formar, terá durante toda a graduação, o fornecimento desses. A lista de instrumental da odontologia é numerosa e de considerável valor financeiro. Hoje nós temos alunos que vieram pelo REUNI e com o GraduaCEO, alunos carentes não terão mais a preocupação de adquirir o instrumental. Portanto, isso é mais uma coisa boa”, afirma.

A professora completa que o atendimento atual será ampliado e melhorado, dando continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela UnB. “O que tem que ficar bem claro é que, o fato de estarmos estabelecendo um convênio com o GraduaCEO, não exime a responsabilidade da EBESERH, que deverá continuar com as mesmas responsabilidades do ponto de vista administrativo”, declara.

As entidades que aderirem à iniciativa receberão um incentivo de R$ 80 mil do Ministério da Saúde. As clínicas odontológicas das universidades serão classificadas de acordo com o número de procedimentos realizados. As de padrão I vão realizar no mínimo 900 procedimentos odontológicos/mês e receberão R$ 25,2 mil mensais para custeio. As de padrão II terão capacidade de fazer no mínimo 1.700 procedimentos odontológicos/mês e contarão com recursos de R$ 50,4 mil mensais. As de padrão III vão realizar no mínimo 2.700 procedimentos odontológicos/mês e terão R$ 75,6 mil mensais de custeio. As de padrão IV poderão fazer no mínimo 4.100 procedimentos odontológicos/mês e contarão com um repasse de R$ 103.320 mensais.

A ação na Universidade de Brasília tem previsão para o mês de novembro e se enquadrará incialmente no nível I. “Se a gente começa nesse nível e a gente tem uma boa avaliação no primeiro ano, automaticamente esse recurso pode ser acrescido. Então por uma questão de prudência, nós optamos por começar no nível I, porque é o nosso perfil no momento. Uma vez que os procedimentos realizados serão registrados, teremos condições de frequentemente avaliarmos as possibilidades de ampliar o número dos mesmos sem perda da qualidade de atendimento. Com o recebimento de um recurso maior, poderemos oferecer um número de projetos de extensão e, consequentemente, ampliarmos o atendimento”, explica a chefe do departamento.

As ações e atividades desenvolvidas no GraduaCEO serão avaliadas periodicamente por meio de verificação in loco da qualidade do serviço, pesquisa de satisfação do usuário e monitoramento da produção por meio dos sistemas de informação do SUS. As clínicas com atuação “acima da média” terão um aumento de 25% do custeio mensal, além de R$ 40 mil (pago em parcela única) para investimentos. Já as unidades com desempenho “muito acima da média” terão o valor do custeio ampliado em 50% mais R$ 80 mil para investimentos.

A expectativa é que 15 universidades façam adesão ao GraduaCEO até o fim de 2014, o que representa a realização de 40,5 mil procedimentos odontológicos a mais por mês na rede pública de saúde até o final do ano.



Fonte: Bia Magalhães / Blog da Saúde / Agência Saúde

Deixe seu comentário


Notícias

ABO

No Facebook

ABO

No YouTube

ABO

No Instagram